Início Eco SC Epagri faz consulta de demandas com piscicultores da Serra

Epagri faz consulta de demandas com piscicultores da Serra

17
0
COMPARTILHAR

 

Lages SC – esta sexta-feira, 20, no Campo Experimental de Piscicultura da Serra, os técnicos da Epagri ouviram os piscicultores da região. Pela manhã, o encontro foi dirigido aos produtores de truta. Primeiramente foi apresentada a estrutura da antiga estação e o que já está sendo feito na Unidade visando atender o setor. Neste encontro foram colhidas as demandas, as necessidades e as dificuldades para que seja aplicada em sintonia com os produtores, uma linha de trabalho, especialmente nas pesquisas para a produção de truta em médio prazo, e mais rapidamente, contemplar a criação de outras espécies nativas como o jundiá ou a traíra. A reunião também serviu para que a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural reunisse informações para a elaboração do Plano Plurianual (PPA 2018-2021). Encontros como esse estão sendo realizados em todos os municípios do Estado, e teve prosseguimento à tarde.

Uma das preocupações abordadas em relação aos alevinos de truta é a constatação de que há casos de consanguinidade, e que estão prejudicando a cruza. Ou seja, há muita reprodução da espécie do mesmo sangue (de pai para filho, de irmão para irmão), fato que está diminuído o vigor dos peixes. Pesquisa que poderá atestar a qualidade dos alevinos deverá ser feita, em breve, dentro do próprio Campo Experimental, ou em parceria com o Centro Agroveterinário (CAV), e assim, fazer um mapeamento genético para saber o grau de parentesco das espécies existentes na região. “Nessa fase de melhoramento, se for preciso, vamos buscar novas matrizes de fora do Estado, ou até mesmo do País, se for necessário”, afirmou gerente da Epagri de Lages, Vilmar Francisco Zardo.

 

Benefício à Acatruta

 

A Associação Catarinense de Truticultura é a principal interessada no funcionamento do Campo Experimental, localizado em Painel. Conforme disse o presidente, o empresário Vilso Isidoro, a Acatruta desenvolve a produção do peixe nas áreas comercial, industrial, e, principalmente, produtiva. Desde a criação da entidade, ela teve como prioridade, resgatar os objetivos da conhecida estação de piscicultura, até que se conseguiu, através da supervisão da Epagri. Vilso ressaltou que o local será um marco para a Região, tanto para a criação de truta, quanto para outras espécies. Disse ainda que a Serra Catarinense está muito carente de produtos, e com a mudança de hábito, os consumidores exigem cada vez mais novas opções, e de qualidade. “Como produtor de truta, tenho certeza de que o projeto agora vai deslanchar, assim que a estrutura para atuar na melhoria genética, estiver pronta”, concluiu Vilso.

 

Estrutura é apresentada

 

Na ocasião, os truticultores tiveram também oportunidade de conhecer a estrutura do local, que há 16 anos estava praticamente parada, e que agora vai precisar sofrer alterações, e ainda se adequar à legislação ambiental. Pois, mesmo que a produção de alevinos de trutas de qualidade demore, o que a Epagri não quer é deixar os produtores desassistidos. Pelo contrário, estará dando a eles, a partir do trabalho de extensão, assistência técnica sobre manejo, nutrição, entre outros, incluindo, o estímulo à criação de outras espécies que possam também ser utilizadas para comercialização, e até mesmo servir a indústria de processamento (Belo Peixes) instalada em Lages. A boa informação é de para essas espécies mais comuns, os tanques da velha Base já poderão ser utilizados em breve.

Além disso, para o trabalho nas propriedades, a Epagri informou de que irá dispor de quatro técnicos exclusivos e especializados em piscicultura, para atender os 18 municípios da Amures. Uma técnica que irá atuar na assistência de pesquisa, junto à Base, Dalila Furlan foi contratada, e já está trabalhando. Os primeiros recursos descentralizados para o Campo Experimental já chegaram, e estão sendo aplicados no atendimento da área de reprodução e na legalização do local, para que entre legalmente entre em funcionamento. O objetivo é o de transformar o local num polo de tecnologia para atender, além de Santa Catarina, o Paraná e Rio Grande do Sul.

 

Mais informações:

 

Vilmar Zardo – Epagri – (49) 3289 6400

Vilso Isidoro –(49) 98406 1772

 

Por Assessoria de Imprensa

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here